Critica | Campeões (Champions, 2018), Série Netflix

Resenha Critica da série Campeões (Champions, 2018) da Netflix. Seriado que foi cancelado após a 1ª temporada. A trama acompanha a história de Vince Cook (Anders Holm), um pai ausente que precisa cuidar de seu filho Michael (Josie Totah) com a ajuda de seu irmão Matthew Cook (Andy Favreau). A série de comédia é originalmente produzida pelo canal NBC e distribuída no Brasil pela Netflix.

Critica | Campeões (Champions, 2018), Série Netflix

Filmes LGBT: Lista de melhores filmes com a temática

Critica | The Old Guard (2020), filme de ação Netflix

Critica | 365 Dias (365 DNI, 2020) Filme Netflix

campeões

Campeões é uma série de comédia onde basicamente tenta fazer uma reimaginação do seriado Dois Homens e Meio para os dias atuais. O enredo é basicamente o mesmo, mas com pequenas alterações atualizadas. Dois irmãos solteiros, morando na mesma casa e que precisam cuidar de uma criança que agora começará a dividir o mesmo espaço que eles. Pois é, esse é o enredo de Campeões, a única diferença é que o menino em questão é abertamente gay.

campeões

É estranho como a série aposta apenas nisso, no pai ausente que precisa cuidar do filho gay. Claro, existem outros núcleos mas o foco principal da série é esse e no começo até parece ser algo atrativo mas depois fica desgastante e algumas vezes estereotipado demais.

campeões

Não é atoa que a série foi cancelada já na primeira temporada. A história é fraca, da para ver que não existe substancia para ter continuidade pois o assunto sempre acaba girando no mesmo eixo: O Pai ausente que precisa cuidar do filho gay ao lado de seu irmão desajustado. A série Campeões é basicamente isso.

O núcleo da academia é tedioso, quase nenhum personagem funciona e fica claro que esses personagens só existem para encher linguiça, para a história não ficar 100% focada no adolescente gay.

campeões

Campeões tenta apostar em novos olhares, com representatividade que não funciona bem já o motivo principal da série existir é usado apenas como alivio cômico e nas partes dramáticas acaba durante menos que alguns segundos. É de fato uma série camuflada de inclusiva apenas para promover entretenimento fácil e pouco aproveitado. Não chega a ser tão diferente de Dois Homens e Meio.

Reply