Critica | Drive My Car (2022)

Resenha critica do filme Drive My Car (Doraibu mai kā, 2022). Indicado ao Oscar 2022. Sinopse: O ator e encenador Yusuke Kafuku é convidado a encenar O Tio Vânia de Tchécov num festival de teatro em Hiroshima. No carro em que se desloca, conduzido pela discreta jovem Misaki, Kafuku confronta-se com o passado e o mistério sobre a sua mulher, Oto, que morrera subitamente levando um segredo com ela.

Critica Drive My Car (2022)

critica drive my car

Uma caminhada só de ida em busca de si mesmo. ‘Drive My Car‘ tem quase 3h de puro diálogos e contemplações, que são bem pontuais a cada cena. O filme não tem pressa de introduzir e construir os personagens, é tudo feito de uma forma muito singela e com isso o ritmo pode soar até lento demais, por isso é imprescindível que o espectador se entregue por inteiro a essa viagem de auto analise junto os eles.

critica drive my car

No começo, as coisas podem soar um tanto confusas, mas logo que você entende para onde o filme esta indo, é gostoso acompanhar essa jornada onde somos conduzidos e vamos entendendo ainda mais o que esta se passando. Esse não chega a ser um filme muito complexo, porém, é bastante introspectivo e assim sendo é também monótono demais, mas não de forma negativa.

critica drive my car

O tema central do filme é o luto e como lidamos com ele. Muitos questionamentos sobre o que deixamos para trás, o que poderíamos fazer por quem se foi muito cedo e coisas que não foram ditas, o sentimento de culpa é constante, mas em vários aspectos pois o protagonista enfrenta um conflito interno que vai além do que seria perder alguém que se ama, é sobre as duvidas que foram deixadas.

Nota