Vidro (Glass, 2019) – O final da trilogia e Shyamalan em sua pior fase

Vidro

Vidro (Glass) – O filme não tem proposito nenhum de existir, os dois primeiros Corpo Fechado e Fragmentado que já não são grande coisa, conseguiram ser diminuídos por conta de “Vidro“. Eu assisti sem esperar nada, já que não gostei muito dos anteriores, nem consigo imaginar o tanto que os fãs devem ter ficado decepcionados. Aqui no Audiencia da TV você encontra outros textos sobre critica, analise e resenhas de filmes e series como esse.

Glass

Vidro

As personalidades de Kevin aparecendo gratuitamente para dar um tempo de atuação pro James McAvoy não

acrescenta em nada na trama, chega a soar patético em alguns momentos. Cada personalidade que ele incarnava,

ele também tinha que obrigatoriamente se apresentar dizendo o nome delas, expositivo e dispensável.

Vidro

O “Sr. Vidro” que da nome ao filme passa metade do filme calado e a outra metade sendo um gênio com uma inteligencia sobre humana que ele não usou nem metade em Corpo Fechado e milagrosamente usou aqui. Além de também o personagem simplesmente poder sair a qualquer momento de seus aposentos sem justificativa aparente.

Vidro

Anya Taylor Joy ta sobrando e muito na trama, a personagem não agrega em nada e só ta la pra servir de moleta

pro final de Kevin, também explicar como ela ficou depois daquele final infeliz que ela teve em Fragmentado e

claro, formar o conjunto de familiares: “O filho, a Mãe e a Vitima” cada um também usando a cor respectivamente

combinando a dos protagonistas: “Verde, Roxo e Amarelo“.

Vidro

Sarah Paulson é uma das minhas atrizes favoritas, eu amo essa mulher, minha série favorita é American Horror Story e muito por conta dela mas aqui nesse filme ela não esta bem, a mulher totalmente apática, quase não tem personalidade e quando abre a boca era melhor ter ficado calada. Personagem subdesenvolvida que aparece e some convenientemente quando o roteiro pede.

Plotwist e Spoilers

glass

Pra piorar o filme não tem só um plotwist, ele tem 3 plotwist, sim, e a lama ta entrando de baixo da lama. O primeiro até funciona, mostrando a ligação do pai de Kevin com os acontecimentos do primeiro filme e o vilão.

glass

O segundo explicando que a Sarah Paulson faz parte de uma organização secreta encarregada de tratar super

humanos e se não funcionar extermina-los foi a coisa mais medíocre do filme, ainda mais a forma como isso foi

mostrado, em pequenas doses de cenas cortadas que não fazem sentido algum e só confundi mais ainda o

espectador.

glass

E o terceiro plotwist, mostrando que o Elijah já sabia de tudo e inclusive preparou um backup antes mesmo das

gravações serem feitas.

É realmente Shyamalan, não ta dando mais pra engolir essa história de que você pensou nessa trilogia desde o inicio.

Nota: 5/10