Naomi e Ely e a Lista de Não Beijos (2015) – Critica

Naomi e Ely e a Lista de Não Beijos (2015) – Critica do Filme

Critica: “Naomi e Ely e a lista de não beijos” é um filme sobre dois amigos, Naomi (Victoria Justice) e Ely (Pierson Fodé), que decidem criar uma lista com nomes de garotos que nenhum dos dois podem beijar para não criar conflito na amizade. Ely é gay e Naomi é completamente apaixonada por ele, o longa gira em torno dessa paixão que a personagem sente pelo amigo mas que tenta disfarçar que não sente. O conflito cresce quando Ely beija o namorado de Naomi, Bruce Segundo, porém, Bruce não esta na lista de pessoas que não podem ser beijadas e isso desencadeia muitas discussões entre os protagonistas.

naomi e ely

O principal problema do filme é o titulo, que não é justificado em momento algum, a lista de garotos que não devem ser beijados é citada umas duas vezes no máximo e logo é ignorada durante toda a trama, não é um objeto fundamental para a trama, então não faz sentido esse ser o titulo do filme. O conflito dos amigos sobre um ser apaixonado pelo outro e não ser correspondido é o que de fato importa.

naomi e ely

Critica | As Panteras (Charlie’s Angels, 2019)

Critica | Doutor Sono (2019): Pega os fãs pelas referências mas esquece que é um filme de terror

Critica | O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio (2019) – O melhor filme da franquia desde o segundo

naomi e ely

A história começa de maneira bem lenta, apresentando uma amizade entre Naomi e Ely que aparentemente é inquebrável, o comportamento que um tem com o outro é de fazer inveja a qualquer amizade solida, dividindo roupas, saindo sempre para os mesmos lugares, dançando em público, curtindo festas, apenas os dois são auto suficientes entre si.

naomi e ely

É justificada o conflito causado por Naomi, em decorrência do beijo de Ely e Bruce, já que seus pais se separaram pelo mesmo motivo e situação, é como se tudo estivesse se repetindo, o longa não faz questão de ser sutil, além de apresentar isso na narrativa, ainda faz questão de deixar os personagens explicarem para a audiencia cada detalhe do que aconteceu e o que tem de referencia ao passado deles. Toda a trama é bem mastigada.

naomi e ely

Da metade para o final, o filme insiste em querer mostrar mais da Naomi com um personagem que não tem qualquer química com ela, mas se o roteiro pede, então é preciso coloca-la junto a ele. Depois do beijo de Ely e Bruce, a história dos dois ficou infinitamente maior do que a de Naomi, mas o longa resolve esquecer um pouco Ely e só mostra algumas cenas pontuais do personagem, todo o plano de fundo, a construção, o desenrolar do que acontece depois não é mostrado, tudo fica subjetivo.

naomi e ely