Critica | Pacificador (Série HBOMax, 2022)

Resenha critica da série Pacificador (HBOMax, 2022). Sinopse: Peacemaker traz John Cena reprisando seu papel do filme O Esquadrão Suicida: o polêmico Pacificador. Uma figura determinada a alcançar paz, não importa quantas pessoas ele tenha que matar. Na trama, o personagem é convocado por uma força tarefa improvisada do governo, sem o consentimento de Amanda Waller, para tentar impedir uma ameaça que coloca em risco a vida de muitos. Além de seus deveres patrióticos, o Pacificador também precisará resolver sua relação com seu pai (Robert Patrick), um homem extremamente frio e desonesto. O time de Waller, composto por John (Steve Agee), Leota (Danielle Brooks) e Emilia (Jennifer Holland), auxilia o Peacemaker a tomar as decisões corretas enquanto usa inteligência governamental para tentar salvar os cidadões americanos. Peacemaker também recebe a ajuda do Vigilante (Freddie Stroma), um herói com a habilidade de se recuperar rapidamente de ferimentos.

Critica Pacificador (Série HBOMax, 2022)

Critica Pacificador

O excelente ‘O Esquadrão Suicida‘ chegou aos cinemas em 2021 e com ele trouxe um dos personagens mais controversos e interessantes, ‘Pacificador‘ (John Cena), não era surpresa que uma série solo do personagem daria muito certo, e com James Gunn de novo no comando é só a confirmação disso.

Critica Pacificador

A série tem a mesma energia do filme, mas claro, o personagem ganha outras camadas e tem o seu passado melhor trabalhado. Mas tudo que fez o ‘Pacificador‘ um bom personagem em ‘O Esquadrão Suicida‘ esta ainda melhor na série.

Os personagens secundários conseguem ser tão bons quanto o principal, o grande destaque é Adrian (Freddie Stroma) que provavelmente poderia ganhar uma série só dele.

Critica Pacificador

Para quem gostou de ‘The Boys‘ e ‘Invencível‘ essa série não deixa a desejar e vai agradar bastante, principalmente no sentido de ser muito direta sobre seus personagens, sempre com situações absurdas e arriscando bastante no desenvolvimento do protagonista. A trilha sonora é outra coisa excelente na série, praticamente não tem um momento marcante sem uma música boa.

Essa é uma série que ganha o espectador já pela abertura, que passa exatamente a loucura que a história tem, e o melhor é ter todos os principais personagens em uma coreografia esquisita mas divertida.

Nota