Critica | Zumbilândia 2 – Atire Duas Vezes (2019)

Critica | Zumbilândia 2 – Atire Duas Vezes (2019)

Critica Zumbilândia 2: Poucas vezes uma continuação de filme consegue ser tão boa ou melhor que o primeiro, como em “O Exterminador do Futuro 2“, “De volta para o futuro 2” ou até “Homem-Aranha 2 (2004)“. Com Zumbilândia não deu muito certo, se passaram 10 anos do primeiro filme e a impressão é de que ainda estamos lá, – e isso não é um elogio – essa continuação soa como algo requintado, não apresenta nada novo e evita expandir a mitologia desse mundo pra jogar no seguro.

critica zumbilândia 2

Anos depois de se unirem para atravessar o início da epidemia zumbi nos Estados Unidos, Columbus (Jesse Eisenberg), Tallahassee (Woody Harrelson), Wichita (Emma Stone) e Little Rock (Abigail Breslin) seguem buscando novos lugares para habitação e sobrevivência. Quando decidem ir até a Casa Branca, acabam encontrando outros sobreviventes e percebem que novos rumos podem ser explorados.
critica zumbilândia 2

O que se espera de uma continuação de um filme lançado em 2009, não é só a evolução visual mas também narrativa e roteiro, aqui não existe nada disso. Para um “comfort movie” até que se sai bem, claro que se você precisa usar a desculpa de desligar o cérebro, só assim para deixar passar os 300 furos de roteiro que existem.⠀
critica zumbilândia 2
As duas mulheres principais do filme Little Rock e Wichita são deixadas de lado para dar destaque aos dois homens Columbus e Tallahassee, e como se não bastasse o favoritismo dos dois, na metade do longa isso é reforçado ainda mais com a entrada de dois novos personagens e fica claro que o filme é sobre eles. As duas mulheres estão aqui apenas para servir a história dos dois.⠀
critica zumbilândia 2

São repetidos uma série de erros que não funcionaram no primeiro filme, como por exemplo, os personagens pararem tudo que estão fazendo para se estabelecerem em uma mansão e ficarem jogando conversa fora. Zumbilândia 2 já começa assim, temos exatamente a mesma intro do primeiro filme mas diferente do primeiro, a cena não funciona, é apenas repetir uma coisa que deu certo e refazer de maneira genérica. ⠀

Existe uma cena pós créditos que me atrevo a dizer que é melhor que o filme inteiro. O subtitulo do filme deveria ser “Datado duas vezes”, faria mais sentido.