Como eu morro (2016) – Narrativa rasa, esquecível e não empolga | Critica

Como eu morro

Como eu morro – Um assassino que prevê o futuro e sabe exatamente onde suas vitimas vão estar e vitimas que também podem prever o futuro e saber os passos que esse assassino vai dar, uma ideia que poderia dar certo a não ser que a preguiça de desenvolver a história tome conta da produção. Aqui no Audiencia da TV você encontra outros textos sobre de criticas, analise e resenhas de series e filmes.

Tell Me How I Die – 2016

como eu morro

A primeira vista, o filme da a entender que pretende desenvolver cada um dos personagens e deixa-los interessantes pro público, até conseguem em uma pena fração de cenas, mas depois, é tudo jogado pro alto e só restaram 5 personagem para serem desenvolvidos e nem com apenas esses 5 a história evolui.

como eu morro

Existe uma sequencia numérica que é mostrada no meio do filme que logo depois é descartada, dando importância a apenas 1 número que é usado como metáfora pra alguma coisa que um dos personagens supõe mas não é deixado claro o significado do número. É como se não tivesse mais relevância, ou seja, você se preocupa em observar detalhes da trama para poder perceber algo no final dela mas em seguida esses detalhes são ignorados.

como eu morro

Poder ter a capacidade de prever o futuro e saber o que vai acontecer é um artificio pouco usado no filme, mesmo esse sendo o principal fator do filme existir. Também poderia ter tirado uns 50 minutos de filme fácil que não faria falta, não tem necessidade nenhuma de ter tanto tempo de filme já que durante 1h40m não acontece muita coisa e nenhum personagem é desenvolvido direito.

Tell Me How I Die

A motivação do assassino é ignorada como todo resto, no fim ele só inventa uma desculpa muito rasa que até daria pra fazer algum sentido se tivesse tido alguma construção daquele personagem mas como se trata apenas de um quase figurante que aparece faltando exatos 20 minutos pro filme acabar, todas as explicações finais acabam sendo irrelevantes no fim das contas.

Nota: 4/10