Aquaman 2: O Reino Perdido | Leia a critica do filme

Resenha critica do filme Aquaman 2: O Reino Perdido (2023). Sinopse: Um antigo poder é libertado e o herói Aquaman precisa fazer um perigoso acordo com um aliado improvável para proteger Atlântida e o mundo de uma devastação irreversível.

Critica do filme Aquaman 2: O Reino Perdido

Aquaman 2: O Reino Perdido” marca o ultimo capítulo no universo cinematográfico da DC (DCEU), sendo também o último filme de super-herói lançado em 2023. Infelizmente, o longa se destaca mais pela sua indiferença do que por qualquer conquista notável no subgênero. Embora não seja totalmente ruim, apresentando alguns elementos aproveitáveis, mas falha em gerar empolgação, perpetuando a previsibilidade e o desgaste que têm assombrado filmes de heróis.

Uma peculiaridade do filme é a capacidade de ser assistido sem a necessidade de uma compreensão profunda do que veio antes. Pode-se até mesmo ignorar o primeiro “Aquaman“, já que o filme oferece um resumo para orientar o espectador.

James Wan, conhecido pelo terror, tenta incorporar elementos desse gênero no início de “Aquaman 2“, inspirando-se claramente em “O Enigma do Outro Mundo”. Esta abordagem inicial gera uma atmosfera misteriosa e curiosa, levantando a questão se o filme teria se beneficiado mais ao se desvincular do universo de “Aquaman” e se manter apenas como um horror cósmico independente. O protagonista, por vezes, parece fora de sintonia com o núcleo do vilão.

A participação de Amber Heard é notável, mas sua personagem mal consegue se expressar de forma coerente, quase se tornando uma “mera” figura decorativa na trama. Enquanto o vilão, Arraia Negra (interpretado por Yahya Abdul-Mateen II), possui motivações convincentes, o roteiro limita seu potencial, favorecendo excessivamente o personagem-título. O desfecho do filme, possui semelhança de outros filmes de James Wan, é resolvido com muita facilidade, deixando uma sensação de pressa e falta de emoção ao encerrar o arco dos vilões.

O contexto ambiental apresentado no filme não alcança o mesmo impacto do primeiro longa, parecendo uma adição tardia e forçada para proporcionar alguma profundidade à narrativa. “Aquaman 2: O Reino Perdido” serve como um encerramento para o DCEU, mas é um desfecho indiferente, quase desprovido de alma. Embora não seja completamente desastroso, a falta de carisma em todos os aspectos contribui para uma experiência repetitiva e sem inspiração. O surgimento do logo do filme sobre o derretimento das calotas polares e o encerramento com uma cena escatológica envolvendo uma barata reflete a sensação geral do filme.




Reply

Deixe uma resposta