Critica Sobrenatural: A Porta Vermelha (2023): Um ótimo desfecho para a franquia

Sobrenatural A Porta Vermelha

Resenha critica do filme Sobrenatural: A Porta Vermelha (2023). Direção: Patrick Wilson. Sinopse: Josh Lambert segue para o leste para deixar seu filho, Dalton, na faculdade. Mas demônios reprimidos do passado voltam repentinamente para assombrar os dois.

Critica | The Flash: O maior filme evento da DC

Guardiões da Galáxia 3 (2023) | Critica

Critica: Ursinho Pooh Sangue e Mel (2023)

Critica do filme Sobrenatural: A Porta Vermelha

Sobrenatural A Porta Vermelha

 

Em seu quinto e último filme, a franquia ‘Sobrenatural’ encerra com a história da família Lambert, do filme original de 2010 que continua no longa de 2013 e fecha a trilogia agora em 2023 com ‘A Porta Vermelha’. 

Este é o primeiro filme de Patrick Wilson como diretor, ele consegue entregar um trabalho eficiente e se tratando de um terror mais popular, Patrick, tem como base o que já conhecemos da franquia, um clássico terror contemporâneo e ‘Sobrenatural’ que é eficaz no que se propõe, mesmo com suas limitações.

É muito bom ver o elenco original reunido de novo, o filme inicia exatamente de ontem parou lá em 2013 e depois tem um salto de 10 anos, nos colocando em um novo momento da família.

Sobrenatural A Porta Vermelha

Mesmo que seja uma continuação, o filme funciona bastante para quem não viu os anteriores, as condições de alguns personagens como perda de memória e como eles vão aprendendo junto com o público faz com que não exista uma necessidade muito grande de ter visto os outros filmes, embora ainda seja importante para a narrativa por conta da construção desses acontecimentos e o apego aos personagens.

O suspense é algo que também se faz constante, algumas cenas são bem construídas de início, como a primeira cena do carro no cemitério, o que logo depois se acaba se rendendo aos clichês do gênero. 

Embora o filme possui muitos sustos, o foco mesmo está no drama de pai e filho, que até funciona mas acaba descaracterizando o contexto familiar e ignorando personagens como Renai (Rose Byrne), que é praticamente o começo de tudo e infelizmente reduzida a uma pequena participação.

Sobrenatural A Porta Vermelha

A franquia foi se desgastando com o tempo por causa de seus derivados, ‘Sobrenatural: A Origem’ e ‘Sobrenatural: A Última Chave’, que são de longe os piores por se desligarem da família principal, os Lambert, e ficarem na personagem Elise (Lin Shaye), que é uma ótima adição aos filmes mas que sozinha não consegue segurar uma trama.

Sobrenatural: A Porta Vermelha‘ é um ótimo retorno às origens, continuando a história de onde parou e encerrando a franquia de forma simples e honesta. 

O filme é recheado de jumpscares que em sua maioria funcionam bem. Não consegue impressionar mas conclui bem a trilogia.




Reply

Deixe uma resposta