Neymar Jr. multado em R$ 16 milhões por lago artificial: Escândalo ambiental abala a mansão do jogador

Nesta segunda-feira (3), o craque Neymar Jr. ganhou os holofotes novamente, mas desta vez não pelos seus talentos no campo, e sim pelas polêmicas ambientais em sua luxuosa mansão no Condomínio AeroRural, localizado em Mangaratiba, na Costa Verde do Rio de Janeiro.

A procuradora-geral do município, Juraciara Souza Mendes da Silva, decidiu aplicar uma multa exorbitante de R$ 16 milhões ao jogador devido às obras de criação de um lago artificial na propriedade. As ações na construção, segundo o relatório de vistoria de 46 páginas da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, incluíram instalações sem o devido controle ambiental, movimentação de terra sem autorização, supressão de vegetação e descumprimento deliberado de embargo.

Maiores Bilheterias do Cinema

Batman Ator | Saiba os atores que fizeram Batman no Cinema

DC Comics: Do quadrinho ao cinema

como baixar video do youtube

A equipe de especialistas, composta por biólogos, engenheiros florestais e oceanógrafa, também identificou que o lago artificial estava utilizando recursos hídricos de um rio próximo, além de desmatar parte do rio ao criar um sistema de canalização, o que pode causar danos à fauna e flora local ao longo do tempo.

Neymar Jr. terá 20 dias para apresentar um recurso administrativo sobre as multas. Caso não o faça, será obrigado a pagar o valor à Prefeitura de Mangaratiba. Além das multas, a Secretaria de Meio Ambiente também comunicou os fatos constatados ao Ministério Público, Polícia Civil e outros órgãos de controle ambiental.

Deborah Secco Nua

Renata Fan Nua

Bruna Marquezine Nua

Relembre as polêmicas na mansão de Neymar Jr.

O caso que resultou na multa milionária começou em junho, quando a propriedade do jogador foi alvo de fiscalização após denúncias anônimas de crimes ambientais e irregularidades. A operação interditou uma obra na mansão, onde foram constatados desvios de curso de água, captação de água de rio sem autorização, captação de água para o lago artificial, terraplanagem, escavação e movimentação de pedras e rochas sem autorização.

Na ocasião, o pai de Neymar estava presente e discutiu com a secretária do Meio Ambiente do município. O empresário chegou a receber voz de prisão por desacato ao funcionário público, mas foi liberado após pedido de sua assessoria.

O imbróglio continuou, mas em junho o juiz Richard Robert Fairclough concedeu uma liminar, solicitada pelo pai do jogador, liberando o lago artificial. Agora, porém, as consequências chegaram, e Neymar Jr. terá que lidar com a multa milionária e as repercussões de suas polêmicas ambientais.




Reply

Deixe uma resposta