Iggy Azalea no The Town 2023: Show de Altos e Baixos encanta Fãs

Iggy Azalea no The Town 2023: Em um dos maiores festivais do ano, artistas geralmente brilham mais intensamente. Os palcos ficam maiores, e o público, ansioso e muitas vezes encharcado pela chuva, tende a receber qualquer atração com entusiasmo, até mesmo Iggy Azalea. O público do festival The Town se animou ao som de músicas como “Black Widow,” “Problem,” e “Fancy,” que não costumam fazer parte de seu repertório.

A rapper australiana, com 33 anos de idade, entregou um show no último sábado (2) que deixou claro seu status atual: uma popstar enfrentando altos e baixos. Durante a maior parte do show, ela dublou suas músicas, e quando falava algo entre as canções, sua voz não correspondia ao que ouvíamos nas músicas.

Iggy contou com a companhia de quatro dançarinas, mas a sincronia não estava no ponto. Recentemente, estive em um show cover da Patrulha Canina com a minha afilhada, que apresentava coreografias mais envolventes.

Iggy Azalea no The Town: Elogios à Plateia e ao Brasil

Antes de subir ao palco Skyline (o maior do evento), a expectativa era palpável. Após um atraso de 20 minutos, ela finalmente apareceu: voluptuosa, envolvente e começou com “Brazil,” uma homenagem ao país. Após a música, ela expressou seu descontentamento com a chuva e elogiou a plateia. Mais tarde, elogiou as brasileiras, afirmando que “elas têm as melhores bundas do mundo.”

Desafios na Carreira e Controvérsias Anteriores

Iggy veio ao festival após enfrentar controvérsias e altos e baixos em sua carreira, com diversas conexões com o Brasil. Em 2017, colaborou com Anitta na música “Switch,” mas a parceria não resultou em um videoclipe devido a áudios vazados de Anitta reclamando da colaboração em 2018. Antes disso, Iggy já havia feito um pocket show abrindo para o Jogo das Estrelas de Zico e se apresentado em uma casa de médio porte em São Paulo.

Desafios e Retorno

Durante os cinco anos em que não lançou álbuns após sua aclamada estreia em 2014, a australiana enfrentou diversos problemas. Teve turnês canceladas em 2015 e 2018 e foi criticada na Austrália por “forçar” um sotaque do sul dos Estados Unidos. Além disso, suas colaborações foram controversas e não atingiram as expectativas, incluindo uma com Britney Spears e outra com Pabllo Vittar.

Nos últimos meses, a principal fonte de renda da cantora tem sido seu perfil no OnlyFans, onde vende conteúdo adulto. Em entrevistas recentes, ela explicou que essa foi uma maneira de lucrar com a exploração de seu próprio corpo, em vez de permitir que empresas lucrassem. Se a performance desconexa desta noite reflete o momento atual de sua carreira como cantora, talvez seja melhor ela se dedicar à carreira de modelo e influenciadora.




Reply

Deixe uma resposta