“Minuta do Golpe”: Encontro Secreto de Bolsonaro com Filipe Martins Revelado por E-mails de Ex-Assessores

E-mails de ex-assessores da Presidência da República trouxeram à luz um encontro secreto que ocorreu entre o ex-presidente Jair Bolsonaro e seu então assessor especial para Assuntos Internacionais, Filipe Martins, às 11 horas do dia 18 de dezembro de 2022.

Este encontro, que não constava na agenda oficial do então presidente, agora se torna evidência de uma série de eventos preocupantes.

Na quinta-feira (21), uma delação premiada do tenente-coronel Mauro Cid revelou que Filipe Martins entregou uma minuta de decreto golpista a Bolsonaro no final do ano passado.

Detalhes do Encontro Secreto

Segundo relatos do tenente-coronel Cid, outros participantes estiveram presentes neste encontro secreto, incluindo um advogado constitucionalista e um padre. No entanto, os e-mails dos ex-assessores não identificam os demais participantes.

No mesmo dia, Bolsonaro também se reuniu secretamente com figuras-chave, como o então advogado-geral da União, Bruno Bianco, o então ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, e o então comandante da Marinha, Almir Garnier Santos. Durante essas reuniões, a minuta do golpe foi apresentada aos presentes, com apenas Garnier manifestando apoio à ideia.

Após esses encontros, Bolsonaro manteve diálogos com Filipe Martins e, em seguida, com o então ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno.

Os e-mails dos assessores destacam que os encontros secretos continuaram até 20 de dezembro de 2022, incluindo reuniões com outras figuras proeminentes, como o presidente do PL, Valdemar da Costa Neto, o então ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, o então ministro das Comunicações, Fábio Faria, e o general Eduardo Villas Bôas.

Há também registros de um encontro adicional com Mario Fernandes, então secretário-executivo da Secretaria-Geral da Presidência, que supostamente contou com a presença de “dois senhores não identificados”, conforme anotações feitas por Jonathas Diniz Vieira Coelho, assessor responsável por organizar a lista desses encontros secretos.

Estas revelações lançam luz sobre eventos que levantam sérias preocupações sobre a democracia e o funcionamento do governo durante o período em questão.




Reply

Deixe uma resposta