Empresários bolsonaristas tentam boicotar Lula e não fazem reajuste correto da gasolina

Com o intuito de monitorar os valores praticados nos postos de combustíveis, o Instituto de Defesa do Consumidor do Distrito Federal (Procon-DF) realizou uma operação de fiscalização na semana passada, inspecionando 40 estabelecimentos. Durante essa ação, foram identificados indícios de aumento irregular em 13 postos.

Bolsonaro planejava prender Lula caso ganhasse as eleições

Esquecido, Bolsonaro tenta aparecer dizendo que vai processar Lula

Prevendo que vai ser preso, Bolsonaro chora e tenta se vitimizar ao vivo

Embora os nomes dos postos não tenham sido divulgados, essas 13 unidades foram devidamente notificadas. Após o anúncio da redução nos preços dos combustíveis pela Petrobras, o Procon-DF mobilizou equipes para verificar se essa diminuição estava sendo repassada aos consumidores.

De acordo com o diretor do Procon-DF, será investigada a possibilidade de simulação de descontos, ou seja, se houve um aumento prévio nos valores para depois oferecer um desconto que não é real. A análise dos documentos será fundamental para verificar se essas práticas irregulares de fato ocorreram.

Além do processo administrativo, os postos estão sujeitos a multas que podem variar de R$ 20 mil a mais de R$ 100 mil, dependendo das circunstâncias e agravantes.

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) enviou um ofício para todos os Procons do país, com o objetivo de realizar um levantamento de preços e promover uma operação de fiscalização em todo o Brasil. A Senacon será responsável pelo monitoramento desses preços.

Na próxima semana, o Procon-DF planeja fiscalizar outros 40 postos no Distrito Federal. O diretor-geral do Procon ressaltou a importância das denúncias feitas pela população para auxiliar na fiscalização dos preços nos postos de combustíveis. Os consumidores podem fornecer informações de forma anônima, e o Procon conta com a colaboração de todos para atuar de forma precisa e eficiente.




Reply

Deixe uma resposta