Novo filme “Canção ao Longe” revela jornada emocionante em busca de identidade

Longa-metragem, Canção ao Longe, dirigido por Clarissa Campolina promete envolver o público

A espera acabou! O aguardado filme “Canção ao Longe“, dirigido pela talentosa Clarissa Campolina, acaba de divulgar seu pôster e trailer oficiais. Produzido pela Anavilhana e distribuído pela Vitrine Filmes através do projeto Sessão Vitrine, esse drama de ficção conquistou destaque nos circuitos de festivais e está pronto para chegar aos cinemas no dia 6 de julho.

temperatura maxima hoje

jim carrey filmografia

frases do coringa para status

bolo da barbie

fotos do super saiyajin

A trama de “Canção ao Longe” acompanha a jornada de Jimena (interpretada por Mônica Maria), uma jovem em busca de sua identidade e seu lugar no mundo. Insatisfeita com sua casa, onde se sente deslocada ao lado da mãe e da avó, Jimena almeja se mudar. Além disso, ela precisa romper com seu pai, com quem mantém uma troca de cartas à distância. Ao longo dessa jornada, a protagonista enfrenta questões relacionadas à sua origem, seu corpo, suas escolhas e se depara com o silêncio que permeia suas relações familiares. O filme levanta temas importantes como classe social, família, tradição, raça e gênero, por meio do olhar sensível de Jimena.

O filme marca a estreia da talentosa atriz, artista visual e tatuadora Mônica Maria em longa-metragem, protagonizando o rito de passagem para a vida adulta da jovem arquiteta Jimena. O projeto teve início em 2012 e a chegada de Mônica trouxe transformações significativas no desenvolvimento das ideias iniciais e no roteiro, assinado por Clarissa Campolina, Caetano Gotardo e Sara Pinheiro.

“Canção ao Longe” busca trazer para o centro da narrativa a complexidade das relações familiares e sociais, revelando fissuras e questionando as estruturas que moldam nossa sociedade. O encontro com Mônica Maria enriqueceu ainda mais as questões a serem exploradas no filme, ao abordar de forma fundamental a questão racial. Desde a escrita até a produção, ensaios com o elenco e a relação dos corpos com o espaço urbano, a temática racial se tornou um elemento essencial na narrativa”, revela a diretora Clarissa Campolina.

A narrativa de “Canção ao Longe” concentra-se na história de uma protagonista feminina, forte e determinada, cujo silêncio e observação atenta conduzem o espectador a uma imersão intensa. O filme nos convida a refletir sobre a experimentação e a descoberta de si mesmo, destacando que esse movimento é tanto pessoal quanto coletivo. Além de Mônica Maria, o elenco conta com Margô Assis, Matilde Biadi, Ricardo Campos, Jhon Narvaez, Enzo Daniel, Carlos Francisco e outros talentos.

Além da rica narrativa, “Canção ao Longe” apresenta uma combinação única de paisagens urbanas de Belo Horizonte, capital mineira, juntamente com uma trilha sonora marcante. As cenas do filme exploram construções antigas, viadutos, comércios do centro e novas edificações, tudo isso embalado pelas belas músicas de Juçara Marçal, Matéria Prima, Marina Cyrino, Patrícia Bizzoto, Nathália Fragoso, Kainná Tawá, Juliana Perdigão (interpretando “Alguém Cantando”, de Caetano Veloso) e a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, regida pelo maestro Sérgio Gomes, interpretando Schumann.

Sinopse:

Em “Canção ao Longe”, acompanhamos a envolvente jornada de Jimena em busca de sua identidade e seu lugar no mundo. Insatisfeita com sua casa e desejando se afastar da mãe, da avó e do pai com quem troca correspondências à distância, Jimena enfrenta o desafio de confrontar sua origem, seu corpo, suas escolhas e o silêncio que permeia suas relações familiares. O filme nos convida a refletir sobre temas importantes como classe social, família, tradição, raça e gênero, através do olhar único e sensível da protagonista.




Reply

Deixe uma resposta