Critica | Divaldo – O Mensageiro da Paz (2019)

Critica | Divaldo – O Mensageiro da Paz (2019)

Critica – Em meio a tantos lançamentos relacionados ao mesmo gênero, ‘Divaldo – O Mensageiro da Paz‘ até que se destaca. O filme conta uma uma narrativa de 3 atos, que acompanhamos a jornada do protagonista em três fazes da vida: Criança, Jovem e Adulto. O longa é consumido quase que inteiramente da versão jovem de Divaldo, que é vivido pelo ator, Ghilherme Lobo. A versão criança de Divaldo, vivido pelo ator, João Bravo, é um dos pontos altos; E assim como em todo filme com esse mesmo formato, acaba usando pouco a versão infantil de seu personagem principal e desperdiçando o que poderia ter sido muito mais.

critica divaldo

Convivendo com a mediunidade desde os quatro anos, Divaldo (Bruno Garcia) era rejeitado pelas outras crianças e reprimido pelo pai (Caco Monteiro). Ao completar 17 anos, o jovem decide usar seu dom para ajudar as pessoas e se muda para Salvador, com o apoio da mãe (Laila Garin). Sob a orientação de sua guia espiritual, Joanna de Ângelis (Regiane Alves), ele se torna um dos médiuns mais importantes de todos os tempos.
critica divaldo

Definitivamente a pior coisa do filme é o ator Marcos Veras, vivendo um “Espirito Obsessor”, ele é um ator extremamente conhecido, principalmente pelo seu trabalho com humor e coloca-lo como o principal antagonista do filme e achar que o espectador vai levar a sério é inacreditável; 100% das vezes em que o ator aparece na tela é completamente frustrante, não tem nada de aceitável ou minimamente bom no que ele apresenta, o que acaba quebrando o tom do filme em momentos decisivos.

critica divaldo

Quando o filme tenta ousar no alívio cômico e tentar uma cena de humor, ele acerta, o problema é não continuar tentando. O longa é basicamente drama mas o que mais chama atenção são as cenas de humor colocadas aleatoriamente e quase que imperceptíveis, parece até que foi uma ideia criada de ultima hora que pareceu boa e foi aplicada. A versão infantil e jovem protagonizam o melhor arco do personagem.

critica divaldo

Nilson, vivido por Bruno Suzano é um destaque a parte na trama, ao lado da atriz Laila Garin, que vive a mãe de Divaldo, Dona Ana. Regiane Alves, que interpreta Joanna de Angelis, soa muito caricata e principalmente por conta do sotaque que a atriz insiste em não desapegar em todas as personagens que faz.

Bruno Garcia, que faz a versão adulta de Divaldo se sai bem, mas não tem muito o que apresentar diante de todo arco narrativo e construção que seu personagem já teve.